quinta-feira, 22 de setembro de 2016

20 tarefas inesquecíveis de um corno manso


     Já recebemos alguns pedidos para postar histórias pessoais. Então, em vez de postar uma historia, resolvemos postar uma lista com 20 das mais mansas tarefas ou situações que eu marido já vivi. Infelizmente não tenho fotos reais nossas para todas as situações. Completamos com imagens apenas ilustrativas de outras pessoas. Mesmo assim, achamos que resultado ficou bem excitante. Confira:

20 – Comprar camisinha fina e com sabor;
Como já devem saber, eu tenho uma predileção por lamber pau, bolas e xota enquanto o comedor fode minha esposa. Acho uma delícia sentir de perto o contraste do pau áspero, rude, duríssimo e grotesco, com a xoxota da minha esposa, toda delicadinha e lisinha. E anda por cima, ficar vendo o pau entrar com força e ouvir os gemidos dela. Uma das 20 coisas mais mansas que fiz foi combinar com o comedor de comprar uma camisinha com sabor pra saborear esse ato. E outro dia, combinar com minha esposa de comprar uma camisinha bem fininha pra dar mais prazer ao comedor... e ajudar e melhorar a performance dele. Bem, corno, né?

19 – Sair com camisa cuckold e ela com pingente;
Outro dia, compramos uma camisa de “corno” e um pingente de pimenta numa loja virtual chamada Sodoma&Gomorra. Nunca pensei que eu fosse passar por uma situação tão mansa a partir dessa brincadeira. Minha esposa me fez usar essa camisa em publico. Tudo bem que a mensagem da camisa era cifrada e não declarava claramente minha vocação para corno manso. Mas, pra quem fosse entendido do assunto, ou ao menos um pouco mais ligado, ficava ali, no mínimo, uma estranheza com a imagem da minha camisa. Foi constrangedor, safado, humilhante e gostoso, confesso... assumir que sou corno assim na frente de estranhos.

18 – Dirigir o carro pra minha esposa e o comedor se esbaldarem no carona;
Já fiz isso mais de uma vez. E acredito que seja algo até comum na vida de outros cornos mansos leitores. O fato é que fiz e repetiria. Minha esposa se esbaldando no banco de trás... e eu tendo que me preocupar com o volante. Foi foda, admito. Tinha hora que eu dava uma espiada, mas sem exagero pra não bater o carro. A adrenalina vai a mil quando parávamos em algum sinal, o os carros do lado ficavam estarrecidos pegando um pouquinho das cenas da minha esposa com o comedor. 

17 – Receber telefonema da esposa, enquanto ela está no motel com outro;
Aqui outro clássico da cornitude. Acho que todo marido cuckold já passou por algo assim. Ainda mais aqueles que viajam com frequência. Uma delicia ficar ouvindo os gemidos pelo telefone e sentir o clima. E pior, ter que ouvir: “ – Agora vou desligar, porque preciso me concentrar aqui. Tchau!” O pau sobe e é punheta certa. Uma vez recebi uma ligação dessa no trabalho. Não podia aliviar. Foi foda. Ter que trabalhar sabendo que ela tava se esbaldando.
16 – Permitir que outro desse tapa na cara da minha esposa enquanto a fodia, coisa que eu não faço;
Uma das coisas que minha esposa sente falta é sexo mais selvagem. Eu sou mais do tipo carinhoso e amoroso. Quando ela pega um comedor com pegada, ela adora. Teve uma vez que o cara era tão abusado que mandou na lata vários tapões na cara na minha esposa bem na minha frente. Ficou claro ali que eu era um marido frouxo, que não fazia nada e deixava tudo. E ele aproveitou bem isso. Fez tudo com a minha esposa.

15 – Trazer o comedor pra foder minha esposa na minha casa, na minha cama;
Também é outro clássico da cornitude e algo que já fiz mais de uma vez. Mas, faz parte do imaginário de praticamente todos os maridos cuckolds. Sei que nem todos tiveram a oportunidade de fazer. Eu já tive. É muito gostoso permitir que o comedor venha ao seu lar, pegue sua esposa, jogue na cama... e a foda com gosto. Aflora nosso lado esquimó... ou seja, as raízes mais culturais do fetiche cuckold. Aquela coisa do homem procurar agradar ao máximo o homem que visita a família, cedendo a esposa para copular.
14 – Permitir que um comedor ficasse azarando minha esposa num evento sertanejo em frente a família dele;
Essa situação foi uma delícia e totalmente não planejada. Fomos a um evento a convite do comedor. Chegando lá, a família dele estava no evento. Minha esposa ficou a noite toda se roçando nele com vestidinho... enquanto eu corria o risco de ser descoberto como corno pela família dele. 

13 – Depilar minha esposa e escolher lingerie pra ela sair com outro;
Aqui também é um clássico da cornitude. Muitos falam dessa fantasia. Mas nem todos tiveram oportunidade real de fazer. Escolher a lingerie e roupa é algo que faço há muito tempo, até com ex namoradas. Mas, depilar, foi uma novidade recente. Minha esposa me colocou pra passar cera nela, e ficar caprichando num trabalho duro e demorado pra deixar ela mais lisinha e gostosa pro comedor. Depois de fazer todo o serviço pesado, ela me deu um beijinho e foi transar com o comedor. Uma delicia de humilhação. Aconselho a experimentarem.


12 – Ficar um bom tempo sem foder com minha esposa pra ela ficar mais inteira pra foda com outro;
Já fiz isso de forma combinada, com minha atual esposa. Ela já teve namorados mais possessivos que queriam ela só pra eles. E isso envolveu eu comer cada vez menos ou até não comê-la. Cumprimos direitinho essa determinação do comedor. Ele merecia porque dava orgasmos maravilhosos pra ela. E também já fiz essa fantasia com minha ex, de um jeito diferente e mais sem controle. Na ocasião, ela quem decidiu sozinha que não queria mais transar comigo e só com o namoradinho dela. Ela chegava em casa e me ajudava a me masturbar. Ficamos meses assim. Ela totalmente apaixonada pelo namoradinho. Antes que perguntem, não foi isso que nos separou. Foi bom demais! Nas duas situações, elas fodiam na rua e me masturbavam em casa.  

11 – Permitir que minha esposa ficasse de mãos dadas com solteiro em boate swing;
Minha esposa tem um prazer especial em me humilhar através de exposição moderada. Acho isso bem excitante. Certa vez numa boate, lugar que vamos muito raramente, ela se arranjou com um single. Até aí, nada que outras esposas não tivessem feito também. A diferença é que as outras, terminada a transa na cabine, cada um vai pro seu lado discretamente. Minha esposa saiu com ele de mãos dadas na frente de todos, e voltou pro salão com ele. Sentamos os três na mesa. E pra piorar, saímos os três juntos da boate. Eu sozinho e ela de mãos dadas com o FDP.

10 – Servir de álibi para minha noiva sair com outro;
Quando ainda éramos noivos, minha mulher morava na casa dos pais dela. Já aconteceu dela querer sair com outro, mas não tinha o que dizer pros pais dela pra justificar chegar tão tarde em casa. Foi aí que entrou o corno álibi. Eu confirmei e assinei a história dela. Pra todos os efeitos, fui eu quem ficou com ela naquela noite. Então, enquanto ela deitava e rolava na sua noite, eu ficava em casa cuidando dos meus afazeres do lar.

9 – Deixar minha esposa de biquíni no carro com insulfilm nos amassos com solteiro só de sunga... enquanto eu fiquei do lado de fora do carro pra ver se vinha alguém;
Essa foi uma tarefa realmente muito mansa. Na saída da praia, fomos pra um beco próximo. Minha esposa estava só de biquíni e ficou dentro do carro do comedor, que estava só de sunga. Os dois num amasso não testemunhado por mim, pois o carro tinha aqueles insulfilms totalmente escuros. E eu fiquei do lado de fora na vigília por quase 1 hora pra avisar sobre eventual risco de flagra por transeuntes. Depois, ela me contou que fez oral nele, e que se amassaram por baixo das roupas de banho. Uma delícia que eu não vi.

8 – Assistir minha noiva(ex) ficar dançando forró com os primo;
Pode parecer coisa pouca nessa lista. Mas você já viu como as mulheres dançam forró? Minha ex noiva colocou aquela saia justa super leve e ficou se esfregando a noite toda nos primos. Eu, não sei dançar, tudo o que fiz foi ficar assistindo. Acho que a família dela inteira ficou chocada como eu permitia uma coisa daquelas. Os primos saiam de pau duro de tanto se esfregar na minha noiva. E eles se revezavam. Tinha hora que um virava pro outro e dizia: “agora chega, mané! Você já dançou muito. É minha vez.” A safada ficou a noite toda se esfregando neles. Foi difícil esconder meu pau na hora de ir embora. 

7 – Minha Esposa tirando onda com amigas, mostrando o cara gostoso que ela pegou, e fazendo elas saberem que eu sou corno;
Não sei como funciona com você leitor. Mas aqui, o sigilo não é absoluto. Sabe aquela história de que o homem precisa demais contar sobre as transas e conquistas para um amigo? Sim, aquela necessidade básica do macho se gabar que pegou fulana e fez isso, e fez aquilo. Chama-se papo de homem. Pois bem, minha esposa fez questão de inverter isso também no nosso casamento. Aqui é ela quem se gaba pras amigas sobre suas aventuras.
Ou seja, tem pelos menos duas amigas que sabem perfeitamente que sou corno. E eu tenho que conviver com elas me fingindo de muito macho, quando no fundo, sei que elas sabem de tudo.
Minha esposa chegou ao ponto de mandar fotos da transa com o comedor, pra mostrar como ele era gostoso pras amigas. Sim, meu caro, eu sei na pele o que é ser corno de verdade.


6 - Deixar ela dormir fora na casa do comedor;
Acredito que muito pouco são os maridos cuckolds que chegaram a esse ponto. Minha esposa pediu pra eu deixar ela ir pra casa do namoradinho dela. Chegando lá, a coisa foi ficando tão boa, mas tão boa, que ela resolveu dormir por lá mesmo. E eu fiquei em casa vendo tv.
Tudo bem que o cara era conhecido de anos, e de total confiança. Mesmo assim, é preciso ser muito cuckold pra permitir isso. O cara fez uma festinha com minha esposa e depois ainda dormiu de conchinha. Você deixaria?

5 – Deixar minha esposa sair sozinha com paquera da adolescência;
Deixar a esposa sair sozinha por sí só já seria algo muito elevado para a maioria dos maridos cuckolds. Mas, nesse item, a tarefa vai muito além disso. O carinha era simplesmente “o cara”. Sabe aquele cara que a vida toda teve uma história com a sua esposa. Não, eles nunca namoraram. Mas, sempre rolou um clima. Eles se pegaram a vida toda, desde a adolescência. Ela traiu todos os ex namorados com esse mesmo carinha. E agora, com um maridinho corno manso, ela não precisava mentir, simplesmente pediu na cara de pau, pra eu deixar ela sair sozinha com o FDP.
Detalhe: o carinha nunca soube que eu deixei, ou que sequer soube do caso deles. Pra ele, era chifre mesmo. E pior, o safado veio me cumprimentar na maior cara de pau dias antes de começar a investir pesado na minha mulher. O cretino era traíra de verdade. Sorria pra mim, puxava assunto, e queria comer a minha mulher. Seria uma situação perfeita pra eu encher ele de porrada, não fosse o fato de que sou corno manso. Em vez disso, deixei ele se aproveitar bastante da minha esposa. Ela pegou o carro dela e levou ele pro motel. Ele não tinha carro. Ela foi até ele, pegou ele de carona, dirigiu com ele no carona até o motel. Pegou muito ele. Depois ela me contou os detalhes. 

4 - Assumir pra um amigo de trabalho que eu sou corno e que queria ver ele fodendo com ela;
Houve uma época em que eu trabalhava em escritório junto com um amigo, que era muito safado. Do tipo conquistador que se gabava das conquistas. Aos poucos, pelo papo, ele foi percebendo que eu não era comedor como ele. E papo vai, papo vem, fui ficando excitado com a ideia dele pegar a minha esposa. Não deu outra, em pouco tempo ele acabou tirando de mim a verdade, que eu aceito que outro pegue a minha esposa. Na verdade, ele descobriu toda a verdade, depois do dia que eu enviei pro email dele uma foto da minha esposa pra ele ver como ela era gata. Nunca imaginei que ele pudesse descobrir que sou corno a partir disso. Mas, reconheço que macho mesmo, jamais mandaria foto da esposa pra outro homem.
Foi quando ele começou a descaradamente se insinuar para virar amante da minha esposa. E isso quase aconteceu mesmo. Não fosse minha esposa não ter dado muita oportunidade pra ele e ele também ficou meio envergonhado de conhece-la pessoalmente. Mas, o fato é que ele ficou sabendo que eu era corno com todas as letras. E desconfio que ele contou no trabalho pra outras pessoas. Um sacana, né?
Vejam a foto dela que mandei pra ele, que fez ele perder a noção e abrir o jogo comigo. 

3 – Deixar outro levar minha esposa em boate Swing;
Essa situação foi o complemento do item 6. Umas das coisas que ela fez com o namoradinho antes de dormir na casa dele, foi ir a uma boate Swing com ele. Imagina o absurdo: o safado usou a minha esposa pra pegar outra mulher em boate. Eles foram como se fossem um casal. E chegando lá, trocaram com outro. Minha esposa acabou que fez pouca coisa com o outro marido. Mas o namoradinho safado, antes de dormir de conchinha com minha esposa, botou a outra esposa de quatro e mandou ver, como um bom macho alfa. Enfim, cedi minha esposa pra formar casal swing com o comedor por uma noite. 

2 – Deixar um negão foder ela, quando era noiva e estava a poucos dias de casar;
Essa história foi única e poderia ter sido ainda mais especial, não fosse minha esposa recusar a ideia de convidar o negão na noite de núpcias. Mas, o fato é que há poucos dias do nosso casamento, escolhemos um negão bem poderoso por um site de relacionamento. Era um cara de fora do meio e que não sabia nem que existiam marido como eu. Ele basicamente não acreditava que podia pegar a gatinha. Mesmo assim, ele seguiu receoso de que tivesse entrando em alguma furada. Mas em vez disso, ele se deu muito bem. Comeu muito a gatinha na frente do noivo. Imagina que cena absurda, uma noivinha linda dando pro negão na frente do noivinho. Foi realmente demais. Pra não esquecer jamais.

1 – Deixar um casal pegar minha esposa, enquanto eu só assistia e fazia oral nelas e nele;
Foi uma delícia. Minha vocação pra corno foi testada ao limite máximo. O outro marido era macho alfa e não gostava que outro homem pegasse a mulher dele. Mas, ele queria pegar a minha mulher. Na verdade, ele queria pegar as duas e me deixar vendo. Consegui negociar ao menos ficar no oral e caricias com elas. Foi uma delicia, o cara fodeu muito as duas, como um macho alfa deve fazer. As duas chuparam juntas ele. Fizeram beijo triplo. Ele tirou orgasmos maravilhosos nas duas princesinhas. E me deixou só assistindo, fazendo oral, como um bom corno manso.O mais humilhante nisso tudo é que a outra esposinha, linda linda... ficou sabendo que eu era corno manso e que o marido dela era o macho das duas.




quinta-feira, 8 de setembro de 2016

Cedendo a esposa pra outro casal


Ele é novinho, alto, todo malhado, com um super dote de 25cm, depiladinho, muito educado e safado... e o melhor, descompromissado. Ou seja, basta sua esposa estalar o dedo, que ele vai estar marcando presença.
Não é preciso fazer grandes pesquisas pra perceber qual o gosto da maioria absoluta dos casais Cuckold. O comedor “sonho de consumo” dos casais não foge muito às regras aqui postas.
Mas a pergunta que proponho aqui nesse post é... será que você marido Cuckold estaria aberto a experimentar algo diferente desse estereótipo de comedor? Que tal, começar mudando o estado civil desse “single” e torna-lo na verdade casado?
Homens casados levam vantagens talvez ainda não percebida pela maioria dos casais. Em geral, são homens menos “rodados” e mais cuidadosos, portanto, representam menos risco de doenças sexualmente transmissíveis.
Além disso, homens casados não se permitem abandonar suas famílias, o que evita também o desgaste psicológico quanto ao risco de envolvimento emocional entre comedor e esposa, algo que não é tão incomum nesse meio.
Mas, que tal, agora, uma mudança ainda mais radical? E se o tal casado trouxesse a esposa dele pra brincar com sua esposa? O que você pensaria disso? Afinal, por que a maioria dos cornos só aceita ser corno de homem? Por que não experimentar ser corno de casal?
As desvantagens de sair com o “comedor dos sonhos” nós já sabemos bem. Geralmente, os garanhões, poderosos que são, possuem uma lista infindável de esposas e até solteiras, querendo sair com eles. Isso faz com que eles façam pouco caso do prazer que podem ter com nossas esposas. Afinal, mesmo que nós maridos não queiramos admitir, o fato é que para esse tipo de comedor, nossas esposas são apenas mais uma de uma lista.
Já tivemos experiências com “comedores dos sonhos” em que o indivíduo nem sequer queria beijar na boca da minha esposa, pra não se “contaminar”. Afinal, considerando a quantidade de mulher que ele pega, realmente, não é o mais adequado sair beijando todas.
Tivemos também experiência com “comedor dos sonhos” em que o comedor saiu de um encontro com outro casal, em que havia acabado de comer outra esposa, e veio nos encontrar, ainda quentinho do outro encontro. Isso até poderia ser excitante para alguns casais. Mas, não é o nosso caso. Preferimos uma interação menos superficial, onde haja maior cumplicidade.
Talvez, ainda pior do que o “comedor dos sonhos” que pega todas, seja aquele que não pega. Soubemos de outro casal, que o tal novinho comedor, adolescente que era, ocioso e sem namorada, começou a investir de verdade na esposa do casal, que dava sinais de estar se envolvendo emocionalmente com o novinho.
Ele nos contou preocupado que a esposa não saia do telefone quando conversava com o outro. E olha que as conversas eram diárias. Pelo que soubemos, a esposa já tratava o namoradinho por “amor”. E o marido começou a ter que encarar um ciúme autêntico, pois os dois, esposa e comedor, estavam se envolvendo mais do que a brincadeira permitia.
Seja por excesso de compromisso ou pelo excesso de descompromisso, o fato é que a instabilidade emocional de um novinho “comedor dos sonhos” traz consigo uma personalidade de excessos. E é justamente por isso que pensamos em experimentar uma aventura alternativa.
Primeiro, experimentamos o casado. Aquele que sai escondido da esposa. Por um lado, descobrimos a vantagem desse tipo de comedor. Eles são mais maduros, estáveis, e com vida própria e estruturada. O envolvimento com a esposa fica na medida certa.
Por outro lado, temos a questão ética de compactuar com uma mentira na relação de outro casal. E pior que isso, a séria dificuldade em organizar uma agenda de encontros que evite desconfianças da esposa traída.
Enfim, todas as situações apresentavam seus problemas. Novinho, solteiro, casado, mais velho... foi apenas com casal que conseguimos maximizar o prazer e minimizar os problemas.
Mas, não vou ficar aqui bancando o racional que escolheu ceder a esposa pra um casal por uma questão apenas de evitar problemas e manter o equilíbrio na relação. Não Se trata de uma preferência baseada em argumentação, mas em desejo. Tenho que confessar o lado instintivo de tudo isso.
Acompanhem minha linha de raciocínio. Todo Cuckold tem uma pitada de masoquista em sua personalidade. Afinal, o corno manso sabe o que é ter prazer diante do que comumente seria dor. Além disso, o Cuckold tem outra pitada de submissão, que também é bem forte em seu lado mais oculto.
Aí eu pergunto: existe alguma situação mais humilhante, provocante, que ponha em teste a submissão e o masoquismo de um homem do que ter que assistir o outro marido ter relações sexuais com sua esposa e também com a esposa dele, sem que você possa fazer nada a respeito?
Assistir um ménage feminino de outro marido é uma delícia sim. Fica evidente para as duas esposas, o quão macho alfa é o outro marido e quão corno você é. É um prazer Cuckold potencializado ao máximo.
Assistir tudo o que todo homem sonha fazer com duas mulheres... sendo que não é você quem faz, e estão fazendo com a sua mulher. É o momento em que você estará sendo corno elevado à quinta potência.
Imagine ver os três fazendo um beijo triplo. Ou as duas mulheres juntas praticando sexo oral no outro marido. Todas as situações são extremamente humilhantes ao marido Cuckold. E naturalmente são deliciosas.
É uma experiência que recomendamos muito a todos os casais Cuckold e Hotwife. Até porque, com casal, a segurança dos encontros aumenta, a promiscuidade diminui, a aventura cresce em opções e os limites emocionais são mais facilmente respeitados. Em todos os aspectos a brincadeira fica melhor, mais fácil e mais excitante. É só uma questão de achar o casal certo.
Com a gente, já experimentamos alguns casais. Não muitos. Teve um que o marido não deixava que eu fizesse nada no sexo que não fosse com a minha boca. E foi uma delícia. Ele fodia muito as duas esposas... e eu só podia beijar, lamber, fazer oral.
Teve um momento em que o marido colocou sua esposa de quatro, segurou ela pelo quadril com força e foi metendo com vontade. Em seguida, mandou que eu me colocasse por baixo da foda e fizesse oral nela. Foi uma loucura ver de tão pertinho aquela rola dura e enorme ir entrando e saindo de dentro da xoxota toda lisinha e delicada daquela linda esposa.
Enquanto eu lambia com vontade a xoxota da esposa dele, o safado tomou a iniciativa de tirar rapidamente a rola de dentro da xota e esfregar com vontade na minha boca. Confesso que era uma experiência que sempre tive curiosidade. E, pude realizar graças a esse marido. Foi muito bom.
Anos depois, ele se separou, e veio a comer de novo a minha esposa, só que dessa vez como single. Foi muito bom também. Mas, certamente como casal é ainda mais prazeroso. Toda aquela adrenalina. O prazer de permitir que as duas mulheres fiquem sabendo claramente que o outro marido é o alfa. Essas pequenas humilhações realizam muito a fantasia Cuckold.
No nosso caso, meu sonho era achar um casal que tudo isso pudesse acontecer, e que eventualmente eu, marido manso, pudesse também pegar um pouquinho da outra esposa de vez em quando. Afinal, sou corno sim. Mas, de vez em quando, a carne é fraca e também queria ter meu contato com uma mulher diferente. Isso não é o desejo da minha esposa. Mas, ela já me disse que pode aceitar sim. Mas, isso ainda não aconteceu.
Quem eventualmente tiver experiências nesse campo (de ceder a esposa pra casal) por favor, conte pra nós pelos comentários. Adoramos histórias assim. Quem nunca teve nenhuma experiência desse tipo, mas fantasia com isso, recomendamos não deixar o tempo passar. A vida é curta. E que se dane o que os outros pensem. Nada disso diminuiu minha masculinidade e nem minha moralidade. Pelo contrário, minha esposa é cada dia mais caida por mim e eu por ela. Beijos aos leitores.